Ciência de dados e Marketplace

Artigo publicado na Revista E-Commerce Brasil em 2 de agosto de 2019

Certamente, você já ouviu falar em big data. Afinal de contas, saímos da geração dos terabytes e entramos para o petabyte a passos largos e a produção de dadosexplode exponencialmente a cada minuto, literalmente. Portanto, é natural a preocupação com os dados.

Antes de falarmos um pouco sobre suas aplicações no comércio eletrônico, tenha sempre em mente, ao falar de Big Data, os 5 “V’s”:

Volume é a quantidade gerada de informação. Exemplo: troca de e-mails, transações bancárias e interações em redes sociais;

Velocidade é a dinâmica em que os dados são extraídos, tratados e utilizados. Se pensarmos numa operação baseada em compras a partir de cartão de crédito, por exemplo, o tempo de análise e aprovação são fundamentais para a viabilidade da loja;

Variedade é a diversidade das informações. Cerca de 90% de todos os dados gerados no mundo não são estruturados, ou seja, são diversificados entre imagens, áudios e documentos online. Empresas que conseguirem captar mais variedades, saem na frente;

Veracidade é como separar o joio do trigo. Os dados serão relevantes apenas se forem verídicos;

Valor é quando a combinação de todos os outros V´s se canaliza em rentabilidade.

Universo de informações

Esse cenário vai compor o seu universo de informações e, a partir dele, você vai conseguir entender o hábito de seus consumidores. Além disso, poderá definir estratégias de marketing, CRM, oferta de promoções, adequar estoque e ações de comunicação como um todo.

Mas, naturalmente, quanto maior o volume de dados, mais difícil se torna a coleta, manipulação e análise. E, com relação ao marketplace, não seria diferente. Para manter a sua operação saudável é fundamental que haja o controle e o gerenciamento de informações dos itens comercializados. Quanto maior for o controle, maiores serão as vendas. Simples assim. Sem entrar em terminologias técnicas, vamos tentar entender um pouco sobre suas aplicabilidades práticas do dia a dia.

Vamos falar de preço

Não restam dúvidas sobre a importância de uma boa precificação e do tamanho da sensibilidade dela em relação aos seus indicadores de venda. Uma boa análise de big data vai te ajudar a entender as previsões de venda e o comportamento do consumidor, além do histórico de preços. Um bom monitoramento de preços é o caminho para uma otimização de performance no seu mercado.

Sobre a concorrência

Quanto os seus concorrentes estão cobrando e como funciona a volatilidade deles em relação às subidas e descidas de preço? Em se tratando de marketplace, pode ter certeza que isso acontece de forma intensa e muito rápida. A partir da análise de big data, você vai poder enxergar essas ondas e relacioná-las a promoções e períodos.

O estoque

Nem preciso dizer a importância do controle do próprio estoque, mas boas ferramentas ligadas a big data permitem que você monitore o estoque da sua concorrência e, naturalmente, crie estratégias próprias a partir desse dado, como aumento de preço de produtos pendentes no mercado.

Em linhas gerais, você não pode deixar de lado os dados estatísticos gerados no seu dia a dia de venda. Importante ressaltar que o big data vai coletar esses dados de forma bruta. A extração eficiente e a análise ditarão o rumo da sua nau. Enviar o conteúdo certo, para o cliente certo, no momento certo, é o caminho das pedras para o sucesso. E a análise de big data será a sua bússola nesse sentido.

Por: Leandro Tomasi, fundador e membro do conselheiro da ReFact