Artigo publicado no Jornal Empresas & Negócios em 12 de agosto de 2021

No momento atual, principalmente com a pandemia da Covid-19, é unânime o entendimento de que o mercado digital veio para facilitar o acesso do comprador a variados tipos de produtos, e otimizar o tempo de busca. A dinâmica é bem simples, mas se olharmos mais profundamente para esse mercado vamos encontrar algumas diferenças de formato que podem pesar na hora de escolher a melhor estratégia para o seu negócio.

O consumidor, na maioria dos casos, busca unir otimização, facilidade e bons preços em uma compra. E qual seria o primeiro passo para isso? Buscar na internet. E dessa etapa em diante que começa a batalha entre lojas próprias de e-commerce e marketplaces.

Operar dentro de um marketplace tem as suas vantagens. A principal delas está ligada a visibilidade. Independente do tamanho da sua loja – seja ela pequena, média ou grande -, se você tiver bom preço e um bom anúncio, provavelmente, aparecerá para milhares de clientes que fazem parte do rol de consumidores do universo daquele portal especifico. Mercado Livre, por exemplo, conta com mais de 200 milhões de transeuntes virtuais ao mês.

Esta é uma grande diferença para o formato do e-commerce, onde apenas a sua loja estará comercializando e você depende das suas ações e investimento para buscar esse público. No entanto, a despeito da necessidade de investimento próprio na busca por visibilidade, você terá mais margem para precificação. Mas isso é em tese, tendo em vista que os custos de visibilidade precisam entrar no seu cálculo de precificação. Mas a realidade é que ambas as operações são importantes e essa presença digital é obrigatória. Elas se complementam.

Sim, não são excludentes, pelo contrário, aproveite-se dessa presença massiva e crie uma estratégia visando cobrir todas as bases, e num mundo ideal, o seu consumidor vai transitar entre sua operação própria e suas lojas dentro dos portais. Mais visibilidade da marca e mais possibilidades agressivas de venda estarão correlacionadas.

Por exemplo, campanhas e ações nos portais. Você pode montar um calendário que reveze as entradas em promoções e mantenha suas outras lojas como PMA. Dessa forma você mantém sua presença massiva e sempre terá ao menos uma loja, sempre em uma campanha conjunta com o portal, com preços agressivos.

Existem diversas estratégias e uma boa dica é ficar de olho no crescimento e nas mudanças de cada plataforma dentro do mercado digital. Tudo muda muito rápido e sempre surgem novas vantagens e regras. Estar alinhado com o propósito e com a meta da empresa é importantíssimo para fazer a melhor escolha e ter sucesso nas vendas.

Por: Robinson Vasconcelos, Diretor-Geral da ReFact